Home PG News Livro sobre depressão vira projeto educacional em Praia Grande

Livro sobre depressão vira projeto educacional em Praia Grande

Já imaginou bater um papo com a Dona Morte todos as noites, no mundo dos mortos?

É sobre isso que o livro Até que a Morte nos Ampare, de Marcos Martinz, retrata. Mas calma, pois o enredo não é de terror.

Até que a Morte nos Ampare conta a história de Marcos, um adolescente que todos os dias é convidado em seus sonhos pela Dona Morte para conhecer histórias de pessoas que vivem no lado de lá.

Em um desses passeios, Marcos conhece Rosa, uma jovem de 17 anos, morta no dia do seu casamento. Por não saber como sua morte aconteceu, Rosinha (como é conhecida na trama) demora a aceitar, o que faz ela reviver todos os dias a data de seu casório. A trama então vira um mistério de muito humor, revelações e ironias.

O livro fala sobre depressão, um assunto tabu para os adolescentes. “A história conduz ao tema de forma leve e divertida. É interessante como o enredo provoca uma profunda reflexão, fazendo com que o leitor se sinta acolhido”, comenta Marcos.

Pela trama não ser uma leitura densa, escolas da Praia Grande resolveram transformar o livro em projeto educacional!

Alunos dos ensinos fundamental (8º e 9º anos, a partir de 13 anos) e médio recebem a visita de Marcos Martinz e Isabela Padrão, amiga de infância de Marcos que faz o papel de Rosinha. O projeto envolve a leitura do livro, roda de conversas com o autor e palestras sobre depressão.

“Quando chegamos em uma escola com a Rosinha, o público se identifica ainda mais com a obra, porque a personagem está ali, em carne e osso. A receptividade é incrível”, conta Marcos.

Depressão

A doença atinge um a cada cinco adolescentes no Brasil. Segundo a psicóloga Vera Ferrari Rego Barros, presidente do Departamento Científico de Saúde Mental da Sociedade de Pediatras de São Paulo (SPSP), os motivos são conflitos pessoais.

“Sexualidade, dificuldade em lidar com frustações, bullying, pressão por escolher uma carreira profissional e por boas notas estão na base de conflitos que podem funcionar como agravantes para a depressão”.

Marcos Martinz, o autor, por exemplo, escreveu o livro em uma madrugada só após passar por um grave processo depressivo. “Comecei a escrever pensando num texto teatral, mas no decorrer da história, percebi que sairia uma obra literária”.

Durante a pandemia do novo Coronavírus, 48,7% dos adolescentes entrevistados pelo Instituto de Comunicação e Informação em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz, em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais e a Unicamp, relataram estresse, ansiedade, problemas de sono e mau humor.

Projeto

O trabalho desenvolvido nas escolas faz parte de um grande projeto, a Marcos Martinz Criações, uma organização que trabalha com ações variadas voltadas ao resgate psicossociocultural de jovens e adultos. Criado a partir do impacto do lançamento de Até que a morte nos Ampare, o projeto inclui a aquisição da obra em escolas municipais e estaduais, como instrumento pedagógico para professores e coordenadores, em assuntos relacionados à depressão entre os adolescentes, além de visitas às escolas, palestras e eventos.

Até que a Morte nos Ampare foi lançado em 2018 e, no último dia 09 de março, foi relançado com capa e capítulos novos pela editora Ciranda Cultural. Clique no link para garantir o seu exemplar!

Queremos te ouvir! Você já passou por um quadro depressivo ou está passando? Saiba que você não está sozinho!

Texto por Matheus Doncev

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Como gostaria de ser chamado?

Mais Populares

Artigos Comentados

Henrique Vieira Rodrigues da Silva on O futuro do transporte público de Praia Grande
Esther Zancan on Quanto vale seu tempo?
Rafa Purps on Quanto vale seu tempo?
Carlos Alberto Rios Fernandes on Com quantos seguidores se faz um influenciador?