Home Notícias STF decide que contrair coronavírus é considerado acidente de trabalho

STF decide que contrair coronavírus é considerado acidente de trabalho

Decisão liminar poderá beneficiar funcionários de setores essenciais e incentivar o uso de EPIs

No último dia 29, o Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu dois artigos da Medida Provisória (MP) 927/2020, de março deste ano, que definiu medidas trabalhistas para o período da pandemia do novo coronavírus. Foi anulado o artigo 29, que não classificava a contaminação de trabalhadores por Covid-19 como doença ocupacional. Também perdeu a validade o artigo 31, que limitava a atuação de auditores fiscais do trabalho. A decisão foi em caráter liminar.

Na prática, a decisão da Corte pode vir a beneficiar trabalhadores de setores essenciais (farmácias, supermercados, etc). Eles poderão, caso sejam contaminados, ter acesso a benefícios como o auxílio-doença, por exemplo.

Entendendo a questão

Normalmente, em grande parte das profissões, comprovar que um problema de saúde foi causado pela atividade profissional é uma obrigação do empregado. Só em atividades classificadas por lei como de risco é que o ônus da prova da responsabilidade recai sobre o empregador.

Quando fica comprovado que houve acidente de trabalho, a pessoa tem acesso a vários benefícios, como o direito a 15 dias de afastamento pagos pela empresa e, a partir do 16º dia, com o pagamento sendo feito pelo INSS. Depois do período em que o trabalhador ficou fora da ativa, ele também tem 12 meses de estabilidade e não pode ser mandado embora, a não ser em casos de justa causa.

Como nem mesmo a ciência consegue identificar o momento específico em que uma pessoa se contaminou com o novo coronavírus, o STF parece ter entendido que exigir do trabalhador que comprove que ele adquiriu a Covid-19 no ambiente de trabalho é praticamente impossível.

Por ser uma decisão liminar, toda essa situação ainda vai gerar muitas dúvidas entre empregados e empregadores. Mas, é provável que um avanço ela já tenha conseguido de imediato: as empresas reforçarão os cuidados com seus colaboradores. A distribuição de álcool em gel e EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), reduzem as chances de que, a falta desses itens, seja usada como uma prova da responsabilidade delas pela contaminação de seus funcionários.

Esther Zancan

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Como gostaria de ser chamado?

- PUBLICIDADE -

Mais Populares

O que é um mapa astral e por que você deve fazer um?

Ele pode ser uma ferramenta e tanto para o exercício do autoconhecimento Você é daquelas pessoas que, quando vê...

Secretário de Saúde de Praia Grande responde entrevista exclusiva sobre desafios do combate ao coronavírus (COVID-19)

O Secretário de Saúde Pública do Município, Cleber Suckow Nogueira respondeu os questionamentos da Alma PG. Tentamos disfarçar, distrair,...

2 novidades gastronômicas que você precisa conhecer em Praia Grande!

Conheça os novidades gourmet que chegaram em Praia Grande! Sempre tudo de melhor só aqui na ALMA PG.

Isso que é notícia boa! Praia Grande ganhará quadras de bocha e malha

A estrutura esportiva de Praia Grande, em breve, será reforçada. A Cidade ganhará quadras oficiais de bocha e malha. Os dois equipamentos estão localizados dentro do Parque da Cidade, no Bairro Sítio do Campo.

Artigos Comentados

Henrique Vieira Rodrigues da Silva on O futuro do transporte público de Praia Grande
Esther Zancan on Quanto vale seu tempo?
Rafa Purps on Quanto vale seu tempo?
Carlos Alberto Rios Fernandes on Com quantos seguidores se faz um influenciador?